na porta formosa

como aquele coxo também nos acomodamos à porta de templos
à porta das nossas seguranças e confortos, e chamamos-lhe “formosa”
e olhamos para “pedros” e “joões” esperando sempre receber deles.

o coxo em vez de esmola recebe uma medida: dar-se todo.
é isso que faz erguer
é isso que faz sair dos meus templos
é isso que faz levantar o horizonte
é isso que faz levantar o céu

é isso que faz ver, mesmo quando regressamos a emaús.
aquele que vive agora, encontra dois mortos,
sem memória, sem esperança, sem vontade, de volta para os seus templos,
de volta a só pedir esmola

yeshua lembra-lhes o sentido da vida como pão, alimento que se reparte para dar mais vida.
o fim da vida não é sombra de túmulo,
a finalidade da vida, aquilo a que aponta é mais-que-vida
e o dom-de-si é mais-que-vida.

essa é a “passagem” que queremos comer.

[a propósito de actos dos apóstolos 3 e de lucas 24]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.